COMPARTILHE ESSA PUBLICAÇÃO

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no whatsapp
Uma linha completa de materiais com informações
úteis para que você se mantenha atualizado.

Classificados como suplementos alimentares de acordo com a Instrução Normativa (da ANVISA IN-28 2018) que estabelece as listas de constituintes, os limites de uso, alegações e rotulagem complementar dos suplementos alimentares, os probióticos, são microorganismos que possuem propriedades benéficas para o hospedeiro. A maioria é derivada de fontes alimentares, especialmente produtos lácteos cultivados. A lista desses microrganismos inclui linhagens de bacilos do ácido lático (Lactobacillus e Bifidobacterium) e Saccharomyces boulardii (a levedura não patogênica). 

Benefícios

O benefício terapêutico dos probióticos é sugerido em uma variedade de contextos clínicos, principalmente em doenças gastrointestinais, como as doenças inflamatórias intestinais, diarreia relacionada a antibióticos, colite pseudomembranosa, diarreia infecciosa, encefalopatia hepática, síndrome do intestino irritável e alergia, melhorando sintomas e ajudando na recuperação do paciente. 

Riscos

Uma das maiores complicações relacionadas ao seu uso está na contaminação de acessos venosos após o manuseio e administração. As consequências podem ser muito graves a saúde de pacientes, principalmente aqueles imunocomprometidos. A contaminação pode ocorrer pelas mãos dos profissionais de saúde ou pela dispersão aérea das cepas após abertura das embalagens com probióticos. Cepas viáveis podem ser detectadas em até um metro de distância do local de manipulação e podem persistir em superfícies e nas mãos dos profissionais, após duas horas do manuseio, sendo muitas vezes difícil a sua remoção.

Recomenda-se, portanto, que na prática hospitalar, o preparo e a manipulação dos probióticos ocorra em ambientes distintos dos das unidades de internação, sempre com a necessidade da implementação de protocolos bem definidos para manipulação, administração e indicação dos probióticos na instituição. Os fabricantes responsáveis devem utilizar rigorosos padrões de qualidade em seus processos e produtos finalizados. 

Para muitas unidades de saúde, a solução para o uso seguro de probióticos é a contratação de terceiros que tenham todo o processo em conformidade com as normas de segurança e que garantam aos usuários finais um produto de alta qualidade. Se quiser saber mais como a GANuttrir pode te ajudar na diminuição dos riscos de manipulação de probióticos, entre em contato conosco. 

Autora: Tatiana Chagas

REFERÊNCIAS: 

1- PROBIOTIC SAFETY—NO GUARANTEES. JAMA INTERNAL MEDICINE, COHEN, P.A. (PUBLISHED ONLINE SEPTEMBER 17, 2018.

2 –   SAFETY ASSESSMENT OF PROBIOTICS FOR HUMAN USE. GUT MICROBES. 2010 MAY-JUN; 1(3): 164–185.

3 – A META-ANALYSIS OF PROBIOTIC EFFICACY FOR GASTROINTESTINAL DISEASES. RITCHIE ML, ROMANUK TN. PLOS ONE. 2012;7(4):E34938. EPUB 2012 APR 18. 

4 – INSTRUÇÃO NORMATIVA – IN N° 28, DE 26 DE JULHO DE 2018: HTTPS://WWW.IN.GOV.BR/MATERIA/-/ASSET_PUBLISHER/KUJRW0TZC2MB/CONTENT/ID/34380639/DO1-2018-07-27-INSTRUCAO-NORMATIVA-IN-N-28-DE-26-DE-JULHO-DE-2018-34380550

Leia também