COMPARTILHE ESSA PUBLICAÇÃO

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no whatsapp
Uma linha completa de materiais com informações
úteis para que você se mantenha atualizado.

O sistema imunológico é responsável pela segurança e defesa do organismo, evitando que agentes infecciosos, como: vírus, bactérias, fungos, protozoários ou parasitas possam causar doenças. Nossos hábitos, principalmente os alimentares, afetam diretamente nossa imunidade.

Uma alimentação equilibrada, sem o consumo rotineiro de alimentos açucarados, gordurosos e industrializados, é uma questão primordial para auxiliar e fortificar a imunidade. Outros hábitos, como uma boa noite de sono, hidratação adequada, prática de atividade física e cuidados com a saúde mental também são fatores que fazem toda a diferença.

A nutrição tem papel chave para modulação imunológica, atuando em estados patológicos de imunodepressões, como também para a manutenção de estados saudáveis em pessoas sem comprometimento do seu sistema imune. Porém, é importante enfatizar que esta relação nutrição/imunidade é extremamente dinâmica: tanto a oferta excessiva de nutrientes como a deficiência, pode levar a consequências negativas.

Dietas milagrosas ou alimentos ditos “super alimentos”, não têm sua eficácia comprovada cientificamente quando se trata de imunidade. De fato, uma alimentação rica em minerais e vitaminas reduz o risco de desenvolver doenças, além de garantir um sistema imunológico mais eficiente.

Quais nutrientes fazem a diferença na manutenção do sistema imunológico?

Nutrientes específicos presentes em alguns alimentos, participam de forma mais intensa do que outros na imunidade, como: vitamina A, presente nos vegetais amarelo-alaranjados e avermelhados como cenoura, abóbora, manga, mamão, pimentão e tomate, a vitamina C, presente na laranja, limão, abacaxi, goiaba e acerola; a vitamina D, presente em peixes como sardinha, atum, salmão selvagem, gema de ovo e leite e derivados fortificados; a vitamina E, presente no óleos vegetais e oleaginosas como nozes, amêndoas, avelãs e sementes de girassol; o zinco, presente na gema do ovo, castanha, amendoim e carne vermelha, e o ômega 3, presente na sardinha, corvina, salmão, atum e linhaça. 

No Plano Alimentar, a qualidade e quantidade dos alimentos presentes nele, devem ser avaliados e prescritos por uma Nutricionista, de acordo com as necessidades e quadro clínico de cada um, evitando carências nutricionais, e desta forma, auxiliando no funcionamento do sistema imune.

Gostou da dica de hoje? Como está sua imunidade? Tem ficado doente muitas vezes no ano? É portador de alguma doença específica, e que possamos ajudar a melhorar sua imunidade? Marque uma consulta com uma de nossas Nutricionistas!

Leia também